quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ARTIGO PARA ENTENDER A MUDANÇA NA CONFIGURAÇÃO DO PROJETO

Sempre que um campo magnético que atravessa uma espira varia, aparece nesse circuito uma corrente elétrica. Esse fenômeno é chamado de indução eletromagnética.
O Fogão de Indução é um transformador, com 250 espiras na bobina primária e apenas uma espira na bobina secundária. Esta espira na bobina secundária é na verdade um anel metálico de alumínio com espaço onde é possível armazenar água. A redução de 1/250 na tensão de entrada, de 220 volts para pouco mais de 0,8 volts faz com que, em compensação, a corrente no anel seja muito alta, permitindo que uma grande potência elétrica seja dissipada no anel. Essa potência é dissipada em forma de calor (efeito Joule), esquentando o anel e fazendo a água armazenada nele ferver em poucos segundos.
O Fogão de Indução pode ser utilizado em indústrias metalúrgicas, possibilitando a fusão de metais, produção de ligas metálicas, etc.

Como fazer:
Enrole um fio de cobre, dando 250 voltas em torno do núcleo de modo a fazer uma bobina, como pode ser observado na foto. O fio de cobre não pode ser muito fino. Conecte os terminais da bobina em um fio e coloque um interruptor, para pode ligar e desligar sem precisar retirar da tomada. Este interruptor deve estar ligado a um plug macho, que deve ser ligado em 220 volts.
Do outro lado da montagem deve ficar o anel. O anel é feito de alumínio e tem um raio externo de 8 cm, e um raio interno de 5,5 cm. Sua altura é de 1,5 cm, enquanto sua profundidade interna é de pouco mais de 1 cm.
A disposição da bobina e do anel deve ser a mesma que está ilustrada na foto.
Forno de Indução

FONTE: http://www.fis.unb.br/exper/prolego/eletro/fornoind.htm, acessado em 12/11/11, as 14:53 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário